quarta-feira, 25 de março de 2009

Expiração

Na última semana, meu post no outro blog ( www.criativesse.blogspot.com) falava do aperto que me toma a alma quando a inspiração me foge e preciso fazer-me escrava não mais das palavras, mas da dor de não tê-las sob meu domínio. Uma amiga comentou que talvez aquele momento fugaz da não inspiração nada mais fosse do que a pausa para a expiração. Silenciosa e serena como a solidão, não raras vezes, se expressa.
Curiosamente, o tema da inspiração fugidia me cercou em dias seguidos. Não mais com os meus textos, os profissionais, emocionais ou confessionais, mas com os textos que li, dos autores que gosto, dos blogs que frequento e admiro. Revi essa angústia nos textos do Marcelo Martins, do Amenidades, a quem admiro pelo relato, pela forma, pelo conteúdo; nas palavras complexas e tocantes da Camila Tebet, do Esse Papo Também; na coluna semanal da Martha Medeiros na
Revista O Globo, no domingo, leitura que não perco e que preenche minhas manhãs cheirando a café; e também em alguns saborosos trechos do imperdível A Soma dos Dias, de Isabel Allende, alma repleta da sabedoria de viver, pungente e bem-humorada, as dores que as pedras impõem ao nosso caminho.

Pensei na coincidência, mas especialmente na argumentação de minha amiga. Estamos todos expirando? Renovando os ares, limpando os canos, abrindo os chacras, desimpedindo as chaminés? É bom pensar que sim. Esses períodos sabáticos sempre me são pródigos, mesmo quando me sinto afogar pelas palavras. Nessas horas respiro devagarzinho, poupo os órgãos, os gestos grandiloquentes. Nem sempre é tempo dos grandes e profundos mergulhos. Quem sabe uma molhadinha rápida na beira d'água; quem sabe um subida fugaz para pegar um ar.
Somos escravos da palavra, mas feitores também. A gente sempre coloca tudo em ordem. Seja a ordem do jeito que for.

12 comentários:

Menina do Rio disse...

Talvez o termo seja mesmo "expirar" ou emergir das profundezas de nós mesmos para encher os pulmões de ar limpo. Mas o certo é que "esta falta de" inspiração também me deixa com uma sensação não de vazio, mas de algo incompleto porque nesses momentos nada inspirados as palavras existem mas não as sei proferir e acabo optando pelo silêncio. E nesses momentos, o melhor é deixar que o vazio aos poucos vá sendo preenchido até a borda e daí mergulhamos novamente no redemoinho das palavras que nascem da calmaria...
Também ando nessa "expiração" e quando estou nessa onda letárgica, dou um "pause" em mim mesma.

Um beijo de Verônica para Verônica

Monique Frebell disse...

Ultimamente eu tenho me sentido assim também, vazia... sem palavras, nem pra comentar... aff

Acho q eu tô me esvaziando dmais até, essa minha expiração nunca acaba!

Bju!

[ rod ] disse...

Olá moça,

o dogMas esta concorrendo na categoria BLOG REFLEXIVO neste site:

http://tracosdeumhomem.blogspot.com/2009/03/tracos-golden-awards-apresenta-os.html


Se você acompanha e aprecia o que escrevo... passa por lá e vote.

Eu e o dogMas agradecemos.

Roberta Bernardo disse...

Adorei o texto!! Tô numa pausa para expiração tb... mas logo vem a inspiração... em todos os seus sentidos!!
Amei as Criativas no mais charmoso estilo "Reveillon" srsrss. contraste perfeito com o fundo!!

Bjks

Kyria disse...

O que acontece é isto mesmo, gostei da maneira que voe expôs o assunto. Bjs

joaohmacedo disse...

Momentos de "expiração" ajudam a valorizar aquilo que se faz bem. São também lições de humildade, de que nem sempre se é dono de seu próprio dom.

Pensar deve ser bonito...

umdiasereieumesma disse...

Me parece que todas as pessoas que escrevem têm, vez ou outra, o momento de pausa, voluntário ou não. Como disse a Menina do Rio, muitas vezes as palavras existem, mas não conseguem ser proferidas. Daí, o silêncio é a benção. Ótima semana.

Lets disse...

Oi, amiga blogueira!
Fico aqui, te catando na net. Seus textos são tããão agradáveis, então só me resta pedir "bis". Conto cada dia ansiosamente para que chegue logo a sexta-feira, quando poderei ler algo seu no Criative-se.
Quanto ao seu post, sabe que um dia eu me perguntei (antes de criar o blog Nossa Casa, eu tive outro, mas abandonei por... acredite, falta de inspiração!): será que as pessoas que escrevem em blogs, sempre tão criativas, animadas, "felizes" e inspiradas tem isso tudo mesmo? É que eu tentava, mas tinha dia que não saía nada... Como vc bem colocou, estamos, nesse período, expirando.
Como toda redação sua, adorei! E, de agora em diante, já sei onde te encontrar (aqui e lá, no Criative-se). Foi muito bom descobrir na net mais uma alma iluminada, de palavras suaves, serenas e sábias, bem redigidas, encantadoras...
Bjo carinhoso de uma fã,
Lets

Lets disse...

Queridona, olha eu de novo! Aff, nem eu to me aguentando... rsrs...
É que ganhei um selinho e, embora eu ache que vc não seja muito fã dessas coisas, eu precisava distribuí-lo a algumas blogueiras e vc, MAIS UMA VEZ, me veio à cabeça. Tá la no Nossa Casa. É só pegar!
Bjinho
Lets

Amanda disse...

Olá Verônica, eu estava aqui degustando tantas inspirações e palavras lindas... apesar de meu blog ser para decoração, artesantos e afins, confesso q sempre tive vontade de ter um blog para colocar os pensamentos em palavras... por isso adorei o seu e vou matar minha vontade te acompanhando viuuu.... Uma feliz Páscoa para vc... Bjs

Beatriz disse...

Estive no teu outro espaço e acredito que encantados ficamos todos nós que te lemos e nos deliciamos com as palavras que sabes tão bem manejar. Gosto do modo como escreves, e muito apreciei a descrição do teu perfil na postagem "O encantamento é fundamental". Encanta-me, sobremaneira, a forma como a pessoa se autodefine. Acredito que somos nós mesmos quem melhor nos retratamos, por sabermos exatamente os pontos negativos/positivos do nosso temperamento, da nossa natureza.

Também sou uma pessoa movida a encantamento. Preciso estar nesse estado para produzir alguma coisa. No momento estou vivendo, como disse a tua amiga, um momento de 'expiração', um tempo que não é de grandes e profundos mergulhos, apenas uma molhadinha dos pés na água. Há que chegar um momento em que, novamente, vou estar inteira para um mergulho maior que me fará sentir novamente o 'encantamento' pela vida e por tudo que me cerca.

Desculpe a mistura de elementos de lá do teu outro refúgio com este daqui. Ao final, tudo gira em torno dos movimentos que a vida nos propõe fazer.

Fica uma rosa azul perfumando teus caminhos, o sorriso de um lindo anjo de asas coloridas, e um beijo no teu coração, expressando desejos de horas lindas a enfeitar os teus dias.

Joaninha Bacana disse...

Oi Verônica,
Obrigada pela visita, curti muito ler seus comentários :-) , e legal conhecer seu blog! Vou voltar mais vezes :-)
Beijos, Angie
P.S. No momento estou na corrida, está chegando o dia D, aaaahhhhhhh :-D