quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Um encontro sempre emblemático

Adoro mãos! Especialmente o toque de mãos! Não há gesto mais intenso, emblemático e revelador. Posso - e muitas vezes o faço - me jogar superficialmente em gestos de carinho ou mesmo automáticos como o beijo no rosto de alguém que encontro, um abraço fugidio, a mão no ombro, o afago efêmero. Mas quando minhas mãos se encontram com outras mãos - além, é claro, do aperto simbólico de apresentação formal - faz-se mágica. Lembro de João, meu filho, a beliscar-me a parte de cima das mãos e a fazer deste gesto a certeza da minha presença. Recordo Ana Luiza, minha pequena grande filhota, a repetir sempre: "Quero segurar a mão da mamãe!" Caminhos percorridos, ruas atravessadas, o símbolo da segurança expressa em afeto e troca cármica. A mão firme de Carlos, eternamente ao alcance das minhas. A mão frágil de minha mãe, a pedir e dividir.
Dos amigos de verdade, no tempo em que a verdade pode ser contada, conheço e reconheço as mãos. E as seguro e afago, desobstruindo o percurso de dias eventualmente difíceis, compartilhando o calor emanado nos dias de êxtase e prazer.
Minhas digitais estão espalhadas por aí, muito além dos registros oficiais expressos em RGs ou passaportes. E também estou repleta delas porque são as marcas que realmente importam ou que levo comigo, herança exposta que não cabe nem pode aprisionar-se em cofres secretos.
Gosto de mãos, gosto de gente, gosto de afeto e história. Tudo ao mesmo tempo. Agora

13 comentários:

JOICE WORM disse...

Também adoro mãos, Verônica. Por isso, as leio. Vou voltar para comentar outra vez... Até já!

Tiago Soarez disse...

Veronica,

Eu sempre reparo na mão das pessoas. Gosto do toque. Sempre gostei, desde criança.

Consigo até perceber a diferença das mãos.

Enfim, sou um especialista! rs.

Beijo

Camilla disse...

Sua sensibiliade ao escrever já dizia algo assim: és uma pessoa de toque. De toques. E o que melhor do que ao alcance de um toque? Vc disse muito bem, é mágica sentir a energia do outro e dar da nossa, num ato que pode significar a salvação, o toque. Sim, acredito em salvação pelo toque. Mãos firmes, quentes, geladas, suadas, tremendo... tanto que podem nos dizer sobre as pessoas. É só ler..
Também vivo com a mão nos outros (risos).

Ps. Tbém te vi... que legal.
Um beijo

Marina disse...

É pelo toque das mãos que passamos o nosso calor para outras pessoas. Enquanto as pessoas pensam que a visão é o único sentido que existe, pessoas mais sensíveis estão atentas aos outros sentidos.

Abraço, Verônica!

Anônimo disse...

Engraçado ler isso...
Só agora me dei conta que são poucas as mãos que toco e poucas são as mãos que de mim sabem; mas sempre que toco tenho a sensação que estou me revelando e que, quando tocada, como videntes, as pessoas poderiam saber quem sou...
Só você mesmo.
Adorei!
Jane

Diego disse...

Apenas um toque e as vezes somos transportados para mundos inimagináveis.

Marcelo Martins disse...

Apesar de gostar das minha mãos, eu não vejo tanta beleza em mãos...
Eu prefiro olhos.
Adoro os olhares, adoro todas as mensagens que eles transmitem, gosto do seu brilho e das suas cores.
Dizem que as mulheres gostam mesmo de mãos.
Quanto à mim, aprecio o gesto delicado e incrivelmente feminino de colocar os cabelos por trás da orelha.
Isso me inspira...

Beijinhos

Janaina Amado disse...

Oi! Tô vindo lá do Lua em Libra, conhecer teu blog. Muito bom te ler, texto jornalístico de ótima qualidade, bom de ler mesmo quando, aqui ou ali, não concordo com uma opinião. Me identifiquei com vários textos, aprendi com outros.
E também adoro mãos!
Prefiro sempre os conflitos latentes, quando ainda não explodiram...
Abraço e parabéns.

♥ Bruh Waltrick ♥ disse...

Oi...Passa por lá...tem as novas aventuras de Maísa...
Tchau Tchau

Canto da Boca disse...

Olá, Verônica, obrigada pela linda visita. Eu volto aqui com mais tempo e digo as sensações causadas. Não gosto de ler com pressa o que merece ser degustado saborosamente. Eu volto e um beijo!
;)

Sei que existes disse...

Também gosto!
Belo post!
Beijo grande

Pavón disse...

Mãos são unicas mesmo...
Seja um carinho, um toque, um puxão, um tapa, um beliscão, cócegas, um abraço... as mãos podem expressar diversas coisas que muitas vezes nem percebemos.

Beijos

PS.
Como é que tu me visita e sai andando sem deixar endereço? Sorte a minha que nao foi dificil te achar...rss

Aryadne Loyola disse...

Seus textos são bem bonitos, pena que tem gente que os 'rouba' e não põe os créditos, seus créditos. Eu li esse texto através de alguém que eu sei que copia os textos dos outros e não põe os créditos. Sempre jogo no google e descubro.
Parabéns pelos seus textos. :)