terça-feira, 11 de novembro de 2008

Noite de furacão

Sim...não acredito em meia vida, meio mergulho, meia entrega. Sou vento em noite de furacão. Derrubo telhas, arranco portas, levanto tampas de bueiro...até tropeço e caio tantas vezes. Mas é bom demais voar ao sabor do vento forte. Às vezes me assusto, tenho medo e vontade de me esconder entre frestas. Mas sei que ali não há lugar para mim. Quero muito da vida, preciso de gente, de espaço e de luz. Acredito em constelações e sonho com o vôo por sobre as estrelas. O combustível para essa viagem está também nas pessoas que arregimento para o trajeto. Gosto disso. De dividir olhares sobre o que vemos. Porque não há um saber maior sobre o saber de todos. Amo a idéia da conquista, mas sou muito melhor quando somo e divido. Entre todos.

( quer saber??? nem sempre dá certo; às vezes estou absolutamente decepcionada e descrente. ainda bem que dura pouco. e que logo volto ao meu norte desencanado e crédulo. ainda bem)

17 comentários:

Niseloka disse...

tbm não gosto de meio, as coisas tem que ser vividas por inteiro(até rimou) rsrsrrs
bjos
boa semana!

Dama de Cinzas disse...

Gostei do texto! Às vezes me sinto completamente assim, como se precisasse de totalidade, nada de meio isso, meio aquilo.

Beijocas

Véu de Maya disse...

A tua bravura me fascina...toca-te com algo de primordial-tal como a força o vento, do mar...a cristalização da palavra é que lhe imprime uma marca...obrigado pela sua visita...

um abraço em Vc/

Camilla Tebet disse...

Vou te lendo e conhecendo mais de vc. Isso é bom porque também não gosto de meias coisas. Meio assim. meio assado, não faz meu cardápio. E que bom ser crédula. Quando crescer quero ser assim também. Mas só quando eu crescer, porque ainda estou sentada embaixo da mesa.
beijos pra vc, mulher sabida.

Janaina Amado disse...

O vermelho do teu blog confirma o texto. Aos poucos vou te conhecendo.

Lalinha disse...

Acredito que não há prazer maior do que pensar que todas as pessoas tem coisas a compartilhar: sentimentos, experiêcias, anseios e percepções.



Sempre fico meio extasiada com as suas palavras.


Beeijo!

Juliana David disse...

Olá Verônica!!!

Que om que gostou do meu selinho. Para você expor o presente que te dei, basta salvar a imagem do selo no seu computador, depois ao fazer uma postagem você inclui na postagem como imagem, ou então pode ciar um cantinho para seus presentes e expor a imagem neste cantonho, como fiz no meu Blog. Que bo mque gostou do mimo.

Agora comentando seu post, também sou como a um furacão as vezes, me lanço no mar revolto, mas no final sempre procuro meu porto seguro e a calmaria. Acho que nós seres humanos temos uma tendência a querer sair da inércia, mas basta tumultuar um pouquinho a calmaria, que queremos voltar ao nosso estado inicial. Ou seja, estamos em constante movimento e em busca de nosso bem-estar.

Beijos Mil.

Juliana

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

ou inteiro ou nada!
adorei o texto!
beijos e borboleteios

Marina disse...

Viver intensamente é a melhor maneira de viver. Ao sabor do vento, recebendo toda a força do que está por vir. Um dia eu aprendo.

Abraço, Verônica!

Diego disse...

As vezes é bom deixar o norte virar sul, oeste, leste...

Quase Trinta disse...

Adorei o texto, tb sou assim ou 8 ou 80, me fez lembrar da seguinte frase:

"Sempre desprezei as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão, as coisas definidas como mais ou menos, um filme mais ou menos ,um livro mais ou menos. Tudo perda de tempo. Viver tem que ser perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados, e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoraçao ou seu desprezo.
O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia " (trecho de O Divã de Martha Medeiros)

João Francisco Viégas disse...

"Eu gosto dos que têm fome
Dos que morrem de vontade
Dos que secam de desejo
Dos que ardem"
(Adriana Calcanhoto)

Monique Frebell disse...

É mesmo medíocre essa permanência em ser metade...
Também gosto de ser completude em cada atitude, gosto da intensidade, quero sempre mais....

Bjão!

Pavón disse...

Talvez o grande segredo seja esse voo continuo junto coms os ventos de um furacão, o furacão da nossa alma... aprendendo com mil sotaques, sorrisos, gestos... só juntando o conhecimento de todos que aprendemos a voar cada vez mais alto, e seguindo seu conselho vou voando por ai....

Beijos

Luiz Felipe Leal disse...

há muito tempo não vinha ver suas sinceridades.

um abraço e um furacão.

Juliana David disse...

Também sou como o furacão quando quero algo. Mas as vezes desejamos tanto, sonhamos tanto e quando acordamos, vmos que a verdade não é tão linda e perfeita. Então caimos e nos frustramos. Mas, graças a Deus como você sei que posso levantar e a frustração dura pouco.

Beijos carinhosos.

Sei que existes disse...

A isso se chama viver verdadeiramente esta vida!
Beijocas grandes