segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Invento histórias

Outro dia, respondendo a um desafio da Joice Worm, do blog O Pequeno Milagre, fiz um acróstico e postei como comentário. Gostei da experiência. Jamais tinha feito; sequer tinha pensado em fazê-lo. E mais curioso ainda é que o fiz instantaneamente, sem me preocupar com forma; apenas com a obrigatoriedade de iniciar as frases com as letras do meu nome. Incrível foi perceber - e por isso reproduzo o acróstico aqui e até conto essa história - que a primeira palavra que veio à minha cabeça e iniciada com o "v" foi "verdade". Dali imediatamente completei: verdade que invento histórias. Porque é isso mesmo que sou: uma contadora e criadora de histórias, que se confundem de tal forma comigo, com minha vida, sonhos e delírios, que não sei mais de quem falo quando penso; de quem penso quando escrevo. Verdade que invento histórias. Essa também.

Verdade que invento histórias
E minto que vejo o que mora em mim
Rio ao reler o que escrevo
Olhar incrédulo sobre o que vi
Nada, contudo, parece estranho
Infinitamente próximo e real
Chego a pensar que sonhei
A vida, Verônica , é surpresa também.

( O desafio era da Joice. Mas quem quiser sentir-se desafiado, aí está!!!)

8 comentários:

JOICE WORM disse...

Que legal Verônica!!! Fiquei imensamente satisfeita em sentir que o meu objectivo foi atingido também por ti... A idéia era que enquanto pensávamos em nosso nome e em uma poesia que começasse com as ditas letras, pensássemos também em nós mesmo. E valeu à pena. Recebi muitas palavras emocionadas pela sensação de liberdade que resultou de cada um de nós (incluo-me, claro!).
Gostei das suas palavras, gostei do momento que me fez passar enquanto lia... Gosto de ti.
E da sua verdade!
Um beijo muito, mais mesmo, muito grande, minha querida!!!

Pavón disse...

Muito bom mesmo...
Eu adoro inventar histórias também, costumo pegar traços da realidade de exagerar em fatos de fantasia imaginária. Mas também dizem que só vive quem tem histórias para contar, entao contemos histórias mesmo que sejam exageradas de nossas andanças por ai....

Beijos

Camilla Tebet disse...

Uma contadora de histórias que busca a verdade nos textos dela e no dos outros. Eu te vejo assim. Com sede, gana de verdade.. que talvez nem exista assim, na forma pura como vc quer.
Já te disse, mas repito: cada comentário seu no meu blog faz eu reler meu texto. Leio diferente. Talvez buscando a verdade que vc vê. às vezes acho, às vezes não.

Camilla Tebet disse...

Nada de pretensão.. são as verdades que vc vê, formadas pelos seus sentimentos também. E eu as vejo, às vezes, quando meus bloqueios caem e posso olhar meus textos com olhos de quem lê.Tbém sou capricorniana e ando numa fase em que escrever tem sido um sacrifício enorme, quase não tenho conseguido... talvez porque não tenho tido olhos assim, para as verdades, mesmo que inventadas por mim mesma.
Tbém gosto muito de trocar idéias com vc. Sempre bom. Sempre bom.

mundo azul disse...

Realmente, seu acróstico ficou muito bom!
Parabéns!

Beijos de luz e o meu carinho...

Desarranjo Sintético disse...

Fabuloso
Acróstico
Bonito mesmo
Intenso como você
Opa, não é que fiz um também!

Abraços.

Fábio.

Marina disse...

Nunca vi um acróstico tão bem feito. Geralmente não gosto deles; são muito previsíveis. Mas eu gostei do seu: não me pareceu óbvio, foi mais uma poesia.

Se o seu começou com "verdade", o meu começaria com "mentira". Haahuahuahuahauhua!

Abraço, Verônica!

Janaina Amado disse...

Gostei, Verônica - mais ainda da prosa, parabéns!