terça-feira, 16 de setembro de 2008

O jogo do risco

Outro dia, durante a minha aula de espanhol, o professor me perguntou: “?Tu eres afortunada?” Respondi que sim. Claro que sou. Não o tempo todo, mas até acho que na maior parte do tempo em que me é dado tempo para pensar nisso. Porque a pressão do ser feliz é fardo também. Sei que fui e sou, mas muitas vezes não fui e não sou. Pelo menos se interpretar tudo isso à luz do delirante mundo do "home sweet home" ou do “para sempre”.
É preciso ter coragem para não ser feliz. E audácia, ousadia, desprendimento. Não quero me amedrontar diante da dor porque ela é fermento e razão para o meu crescimento. Fui infeliz hoje em vários momentos. Mas um sorriso me fez muito feliz. Sem romantismos idílicos. Apenas sentimento. Me impressiona um pouco o medo do risco apenas pelo risco da dor que isso me trará.

Se o risco é inerente ao jogo, quero jogar e me jogar por inteira. Se o joelho ralar, se a lágrima escorrer, se a chuva cair, se a noite chegar...que seja bem-vinda. Porque no dia seguinte vou jogar novamente. Quem quiser que entre no time...ou assista da arquibancada.

17 comentários:

Camilla Tebet disse...

O risco é sempre tema seu hã? Admiro isso. Aqui sempre tem uma dose, pequena, mas uma dose, um shot diria, de perigo.
"É preciso ter coragem para não ser feliz. E audácia, ousadia, desprendimento."
É preciso ter coragem sim. Mas o duro é quando não se tem escolha.. e isso acontece. Aí a ousadia e o despreendimento é pra ser feliz.
vc faz fumaça moça, e quem quiser que assista da arquibancada mesmo.
beijos

Tiago Soarez disse...

Estou no seu time e não abro mão.

Adorei o texto, parabéns.

É sempre bom passar por aqui!

Bossa Nova Café - textos, música e arte!

"O Autor", disse...

Minha mente bipolar não permite tão façanha. Droga!

Monique Frebell disse...

Eu não saio desse time por nada!
Não sou espectadora, sou participante nessa arriscada competição que se chama: Vida.

Ou seria Amor?

Desarranjo Sintético disse...

É isso aí! E num desses arriscados jogos, podemos ganhar! A possibilidade de ganhar que nos faz arriscar, mesmo que perdamos algumas ou muitas vezes. Mesmo que tenham algumas dificuldades. Acho que o risco vale a pena...a recompensa é maior!

JOICE WORM disse...

Yo también me siento afortunada Vero. No que sea por todo el tiempo, como dices, pero por una gran parte de el.
Hoy, por ejemplo, me he sentido como se fuera la mujer más encantadora delante de todo el mundo. He cumplido los 47 años y me estoy muy contenta. De verdad!!
Besito a ti, mi querida!

Anônimo disse...

Vê, quem ganha no jogo do risco?
É um jogo lúdico? Exige competitividade? Ou os dois?
Quais são as regras? Podem ser adaptadas?
Quantos jogadores podem entrar na roda?
Podem ser feitos pares ou é cada um por si?
Demora? Cansa?
O melhor do jogo nem é ganhar não é? É fazer parte do jogo, como peça ou jogador.

Jane

Narradora disse...

Muitas vezes me pego na beirinha do trampolim, quando só falta um passo ou um tiquinho de nada pra pular e vem um tal "assustamento" com um tanto de "e se"...
Estou aprendendo a lidar com esse senhor, as vezes é um conselho útil e evita uma queda desnecessária, outras vezes é só medo e pode atrapalhar... mas, parando, entrando pela escadinha ou pulando do mais alto trampolim, estou no jogo :)
Bjs

Impressões, relatos e experiências disse...

Vê,

Sou uma pessoa cheia de medos, você sabe. E penso que devo evitar correr riscos. Os desnecessários, os que não vão me conduzir a um objetivo ou a uma conquista importante. Algumas vezes em que me senti "correndo riscos" na vida, pensei muito antes. Outras vezes, nem pensei no que poderia dar errado, nas consequências desagradáveis que poderiam emergir das minhas ações. Simplesmente agi. Por impulso, por instinto, por um desejo incontrolável. Muitas vezes me arrependi, sofri, chorei e morri de vergonha mas hoje sei que cresci com essas experiências.

Camilla Tebet disse...

Belas leituras vc faz do que escrevo. E sua honestidade me deixa feliz. feliz.
Um beijo.

Diego disse...

Só erra quem arrisca.
Só acerta quem arrisca.

Clecia disse...

Mas ser feliz é isso mesmo. São momentos que vão e vêm. Momentos de pequenas felicidades e outros opostos.Bjs e um ótimo fim de semana!

Vivian disse...

...só o fato de tentar, já saímos como ganhadores nesta competição chamada VIDA...e não é preciso ter coragem para ser feliz quando entendemos que felicidade é um estado de espírito que nos leva a este sentimento natural não 'por quê', e sim 'apesar de'...bjsss...belíssima reflexão...parabéns!

Marina disse...

Quem nunca foi infeliz não sabe dar valor a pequenos instantes de felicidade. Preciosos instantes que fazem nossas vidas valerem a pena. Sou feliz por poder esperar por eles.

Abraço e belo texto.

joaoguedespereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joaoguedespereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joaoguedespereira disse...

Quem arrisca novos projetos pode errar, mas quem não arrisca... já errou.
É a ousadia dos que se arriscam que move o mundo. E o erro foi desde sempre companheiro, conselheiro e estímulo da humanidade. Se o homem permanecesse estático ou temeroso diante do medo de errar não teria evoluído tanto.
O erro jamais será objetivo de alguém. O objetivo é acertar, não somente porque errar gera frustração, mas até porque o homem caminha em busca da perfeição, mesmo consciente de que nem sempre poderá alcançá-la.
Os erros nos levam à reflexão. As mentes tenderão a buscar os porquês e as correções de percurso. Isso é reflexão salutar. Erros e acertos têm relação direta com a forma de encararmos a vida. É o jogo do risco. Crer é poder. Pense positivo. Acredite. Confie. Encha sua vida de otimismo. Acima de tudo viva e seja feliz.